Uso indiscriminado de remédios para emagrecer afeta saúde cardiovascular

Perder peso a qualquer custo pode ficar caro para a saúde cardíaca. Isso porque o uso indiscriminado de remédios para emagrecer traz uma série de danos à saúde do coração. Para falar sobre o tema, a cardiologista do Grupo Fleury, detentor da Diagnoson a+ na Bahia, Dra. Paola Smanio, explica sobre os perigos e destaca os cuidados necessários.

“Alguns medicamentos para emagrecer contêm na fórmula a anfetamina, substância que pode acelerar bastante a frequência do batimento cardíaco (frequência cardíaca ou batimento cardíaco) e promover arritmias. Às vezes, a fórmula da medicação contém diurético e o próprio paciente não sabe. Quando a pessoa tem pressão baixa ou toma um medicamento para pressão, misturando com esse diurético, pode ter quadros de hipotensão, mal-estar ou desmaio”, frisa a Dra. Paola.

O estresse e a síndrome metabólica  

Hoje, as pessoas estão cada vez mais estressadas, têm uma alimentação inadequada devido à falta de tempo, comem alimentos com excesso de sódio, gordura saturada e hidrogenada e não fazem atividade física regularmente. “Os atuais hábitos de vida da população acabam acarretando maior risco de problemas cardiovasculares por aumento da pressão arterial e dos níveis de açúcar do sangue, bem como dos níveis de colesterol. Tudo isso está interligado e é o que chamamos de síndrome metabólica, grande vilã para a saúde cardiovascular. Além disso, insatisfeitas com o sobrepeso, muitas pessoas recorrem aos medicamentos para emagrecer, nem sempre com acompanhamento e indicação médica”, ressalta a cardiologista.

A médica reforça que, antes de iniciar o uso desses medicamentos, quando recomendados pelo médico, é fundamental fazer uma avaliação cardiológica com exames para avaliar se as medicações são adequadas para aquele organismo.

Efeito sanfona

É preciso saber qual o procedimento adequado e saudável para perder peso – que não é igual para todos. “O efeito sanfona, muito comum em quem se arrisca em dietas sem acompanhamento, vem com um emagrecimento rápido que leva junto a massa muscular que já vamos perdendo com a idade”, explica a médica.

Sobre passar horas sem comer, o famoso jejum, a cardiologista ressalta que essa prática nem sempre é recomendada, pois as pessoas precisam de fonte de energia para o cérebro e o coração funcionarem.  Pacientes só devem realizar este tipo de dietas com indicação e supervisão médica.

Por todo esse contexto, a orientação é: antes de um plano de emagrecimento, avaliar níveis de colesterol e de glicemia, saber como está a pressão arterial, fazer um eletrocardiograma e outros exames necessários para descartar doenças cardiovasculares e quadros como arritmia cardíaca. É recomendado também que pessoas com sobrepeso e obesidade busquem acompanhamento médico e multidisciplinar para uma jornada de emagrecimento adequada, individualizada e definitiva.

Para a Dra. Paola Smanio, o caminho para um corpo saudável e perda de peso duradoura e sustentável passa pela mudança de hábito, com atividade física regular, cuidados com a saúde mental e alimentação nutritiva e balanceada, longe dos industrializados, álcool e cigarro.

 

Fonte: Tribuna da Bahia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *