Sino da Vitória é tocado pela primeira vez na Radioterapia do Hospital Regional de Juazeiro

Concluir cada etapa do tratamento médico é motivo de alegria e alívio para os pacientes oncológicos e todos que acompanham a luta contra o câncer. No Hospital Regional de Juazeiro (HRJ), complexo administrado pelas Obras Sociais Irmã Dulce (OSID), o badalar do Sino da Vitória ressoou pela primeira vez e por um motivo especial: a conclusão das sessões das primeiras pacientes da Radioterapia da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon).

Há pouco mais de um mês em funcionamento, a Radioterapia da Unacon ampliou a assistência oncológica para os pacientes atendidos na região do Vale do São Francisco. Com a chegada do acelerador linear, cedido pelo Ministério da Saúde, usuários do serviço agora podem realizar essa etapa do tratamento sem a necessidade de se deslocar para a capital. Desde abril, mais de 100 sessões foram realizadas, alcançando cerca de 15 pacientes no HRJ.

É o caso de Ícara Cruz, paciente que realizou todo o ciclo de tratamento contra o câncer de mama no hospital. Após o fim das sessões de radioterapia, a juazeirense inaugurou o badalar do Sino da Vitória, compartilhando a alegria e anunciando o início de uma nova fase. “Apesar de ser um processo difícil, eu nunca abaixei a cabeça, e poder dizer ‘eu venci’ é motivo de muita gratidão a Deus e a toda a equipe que me acompanhou”, afirma.

Com o intuito de chamar a atenção para acontecimentos importantes, o Sino da Vitória foi implementado na Unidade Alta Complexidade em Oncologia com o objetivo de comemorar, simbolicamente, a superação física e emocional que envolve um tratamento contra tumores cancerígenos. “Assim como o sino anuncia boas novas, o ecoar do sino aqui na Unacon traz a mesma sensação de esperança. Uma vez que o paciente anuncia o término do seu tratamento, outras pessoas podem escutar que é possível, sim, recomeçar: fechar um ciclo para iniciar uma nova etapa”, explica a enfermeira principal do Setor Oncológico, Luana Mesquita.

Ícara descobriu a doença em 2021, ao realizar os exames de rotina de detecção do câncer. “A partir do resultado da mamografia, foi necessário realizar a biópsia, que confirmou o tumor. Foi aí que enfrentei todo o ciclo de quimioterapias e em seguida pude realizar a cirurgia oncológica”, descreve a paciente. Passadas as etapas do tratamento, ela seguiria rumo a Salvador para realizar as sessões de radioterapia. “Foi quando recebi a notícia do início da radioterapia da Unacon. Ao saber disso, não tive dúvidas: faria esse tratamento também aqui no Hospital Regional de Juazeiro”.

Orgulhosa do caminho percorrido, a paciente relata a felicidade em iniciar esse novo momento. “Ter realizado os exames de detecção e seguido todos os conselhos da equipe médica me ajudaram muito e é muito especial a sensação de poder recomeçar. O conselho que eu deixo para todas as pessoas que enfrentam essa mesma batalha é que não desistam, que sigam em frente, pois tudo dará certo”, declara.

Fonte: Ascom/HRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *