Mutirão de cirurgias completa 1 ano com 154 mil procedimentos feitos

Depois de dois anos de espera, Valnice dos Santos, moradora de Salvador, conseguiu passar por uma cirurgia para resolver seu problema de hérnia inguinal. “Há dois anos, percebi o problema de hérnia e passei por um médico, que indicou a cirurgia”, lembra. “Tentei por diversas vezes marcar uma cirurgia nos postos de Salvador, mas infelizmente nunca consegui. Então, fui à Feira Março Mulher, passei por exames, consulta com cirurgião e já saí de lá com o procedimento agendado. Fiz a cirurgia no dia 30 de março e já me sinto bem melhor”.

Valnice foi uma das beneficiadas pelo Mutirão de Cirurgias Eletivas, projeto lançado há um ano pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), para dar vazão à demanda por cirurgias na rede pública, que ficou reprimida durante a pandemia da Covid-19 no Estado. A ação faz parte do Programa Estadual de Ampliação do Acesso às Cirurgias Eletivas, que busca ampliar a oferta de procedimentos de média e alta complexidade.

Iniciado em abril de 2022, o mutirão tinha expectativa inicial de realizar 79 mil cirurgias, mas segundo a Sesab, o número de procedimentos realizados é praticamente o dobro: 154 mil. O investimento na iniciativa chega a R$ 206,9 milhões.

De acordo com o órgão, a oferta das cirurgias ocorre de forma descentralizada e regionalizada, priorizando as filas de espera existentes. Os procedimentos são realizados em 85 unidades das redes de saúde pública, filantrópica e privada, de acordo com o respectivo perfil e complexidade.

Para garantir a descentralização, a Sesab informou ter lançado um edital contemplando os 417 municípios, no qual ficou determinado o credenciamento de prestadores de serviços de saúde com recursos para realização de cirurgias eletivas com base na estratégia de ampliação do acesso aos procedimentos.

Para que o Mutirão de Cirurgia oferecesse atendimento nas diversas regiões da Bahia, segundo a Sesab, foi oferecido um incentivo aos prestadores de serviço, por meio da valorização do pagamento por procedimento. Desta forma, de acordo com a secretaria, foi possível ampliar a oferta de cirurgias eletivas de média e alta complexidade, reduzindo o tempo de espera e oferecendo atendimento com rapidez e eficiência para os pacientes.

 

Fonte: Jornal A Tarde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *