Mutirão de Cirurgia eletiva ultrapassa a marca de 150 mil procedimentos

O Mutirão de Cirurgia Eletiva, promovido pela Secretária da Saúde do Estado, ultrapassou a marca de 150 mil procedimentos realizados em pouco mais de um ano. Iniciado em abril de 2022, a ação faz parte do Programa Estadual de ampliação do acesso às cirurgias eletivas, que busca aumentar a oferta de procedimentos de média e alta complexidade, priorizando a demanda reprimida durante o pico da pandemia da Covid-19 no Estado. O investimento na iniciativa já chega a R$ 206,9 milhões.
O projeto tinha expectativa inicial de realizar 79 mil cirurgias, número que já foi superado, chegando a mais de 154 mil. Ao todo, estão sendo disponibilizados mais de 36 procedimentos como cirurgia de catarata, remoção de mioma, histerectomia (remoção do útero), colecistectomia (retirada de vesícula), cirurgias de hérnias inguinais, umbilical, epigástrica dentre outros, em especialidades como cirurgia geral, ginecologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, urologia e cirurgia vascular.

Para Valnice dos Santos, uma das beneficiadas, o mutirão foi uma oportunidade de solucionar seu problema de saúde. “Há dois anos percebi o problema de hérnia. Passei por um médico que indicou a cirurgia. Tentei por diversas vezes marcar uma cirurgia nos postos de Salvador, mas infelizmente nunca consegui. Fui na Feira Março Mulher, passei por exames, consulta com cirurgião e já sai de lá com o procedimento agendado. Fiz a cirurgia no dia 30 de março e já me sinto bem melhor”, comemora a moradora de Salvador.

Ela conta ainda que viu no mutirão o caminho para ter de volta a sua qualidade de vida. “Foi um alívio muito grande ter acesso a essa cirurgia. Fiquei por todo este tempo preocupada. Fiquei sem poder trabalhar e até mesmo sem fazer o pilates, que eu gosto tanto. Agora vou retomar tudo isso”, afirma ela.

Quem também já desfruta de uma vida melhor é Edilene Menezes. A moradora do Engenho Velho da Federação, em Salvador, passou por uma triagem realizada no mês de outubro e já saiu com a cirurgia de vesícula agendada para o mesmo mês. “Sofri com dores por quase dois meses. O mutirão foi uma verdadeira oportunidade para agilizar a cirurgia. Agora não tenho mais este problema e não sinto mais as dores”, comemora.

A oferta das cirurgias vem ocorrendo de forma descentralizada e regionalizada, priorizando as filas de espera existentes, sendo os serviços executados por 85 unidades da rede de saúde pública, filantrópica e privada, no âmbito do Estado, de acordo com o respectivo perfil e complexidade. Para garantir a descentralização, a Sesab lançou um edital contemplando os 417 municípios, onde ficou determinado o credenciamento de prestadores de serviços de saúde com recursos para realização de cirurgias eletivas com base na estratégia de ampliação do acesso aos procedimentos.

Acesso simplificado

O acesso às cirurgias está ocorrendo de forma simplificada, atendendo as pessoas que já possuíam o diagnóstico e indicação de cirurgia, bem como as cadastradas pelo município no Sistema Lista Única. O Mutirão de Cirurgias conta com o apoio dos municípios, que realiza o cadastro dos pacientes por meio das secretarias municipais de Saúde, responsáveis pela atualização do Sistema Lista Única do Governo do Estado.

Além do cadastro pelos municípios, o acesso aos procedimentos têm sido feito também pela Feira Saúde Mais Perto, ação promovida pela Sesab em parceria com as Voluntárias Sociais do Estado. Em 2023, a Feira Saúde Mais Perto já foi realizada em Salvador, Campo Formoso, Santo Amaro, Lamarão, Glória, Filadélfia e Juazeiro.

Reflexos da pandemia

A pandemia da Covid-19, embora esteja em um momento de menor gravidade, trouxe reflexos significantes para o sistema de saúde estadual. A destinação de diversos recursos para garantia do atendimento a baianos diagnosticados com o vírus e contratação e abertura de leitos voltados ao tratamento da doença fez com que a Sesab ficasse impedida de realizar procedimentos eletivos antes corriqueiros, o que gerou o represamento na rede.

Atualmente o Sistema Lista Única contabiliza cerca de 78 mil pessoas aguardando para passar por uma consulta e se confirmada a necessidade de cirurgia serem encaminhadas para a cirurgia. Os procedimentos são em diversas especialidades. A maior demanda é em oftalmologia, que ocupa as três primeiras posições entre os procedimentos, sendo cerca de 28 mil de facoemulsificacao com implante de lente intra-ocular dobrável (cirurgia de catarata), cerca de 12 mil de tratamento cirúrgico de pterígio e 3,6 mil decapsulotomia a YAG laser.

A secretária da Saúde do Estado, Roberta Santana, afirma que a Sesab continuará trabalhando para que a fila seja zerada. “Não pouparemos esforços para que todos os procedimentos possam ser realizados. Cada cirurgia realizada é uma vida transformada. Conseguimos devolver qualidade de vida para cada um desses baianos”, diz Roberta Santana. A secretária aponta que diversas equipes estão mobilizadas para realização dos procedimentos.

Fonte: Sesab

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *