“É preciso resgatar a alegria do momento da vacinação”, diz ministra Nísia Trindade

Manter o Brasil livre de doenças já eliminadas e diminuir o índice de mortalidade por causas imunopreveníveis são os objetivos mais claros do Movimento Nacional pela Vacinação. Mas há outro pressuposto: resgatar a alegria do ato de se vacinar. Foi o que lembrou a ministra da Saúde, Nísia Trindade, em sessão especial no Senado pelo Dia Nacional da Imunização, nesta quinta-feira (15).

“O Zé Gotinha está em alta. Esteve no carnaval, no Rio de Janeiro, esteve na parada LGBT+. Ele está sempre presente quando queremos reforçar a campanha, mas a vacinação ainda precisa voltar a ser um orgulho do nosso país, como já foi”, destacou a ministra, lembrando que o personagem é sempre muito querido por onde passa e que os esforços do Ministério Saúde são para que esse apreço se estenda também ao ato de se imunizar.

“Queremos a nossa população protegida em todo o seu ciclo de vida, com as vacinas para cada faixa etária e temos uma responsabilidade também fundamental com a proteção das nossas crianças e adolescentes”, reforçou. Nísia ainda fez um apelo às famílias brasileiras: “não podemos deixar nossos jovens sem proteção”, informando que o próximo ciclo da etapa de multivacinação deve começar em agosto.

A ministra agradeceu aos parlamentares pela iniciativa e lembrou que o Congresso Nacional é fundamental na garantia de políticas públicas de saúde. “Também agradeço pela aprovação da chamada PEC da Transição, porque sem ela nós não teríamos os recursos necessários para todas as ações que estamos realizando no Ministério da Saúde”, recordou. Ela também agradeceu especificamente às senadoras e aos senadores pela importante solenidade em prol da imunização e aos deputados pela criação de um colegiado específico para acompanhar o tema.

Redução da mortalidade

O evento foi presidido pelo senador Marcelo Castro (PI), que lembrou da importância da imunização para a preservação de vidas em todo o mundo. “A imunização é considerada, com exceção do acesso à água potável, a medida com maior impacto na redução da morbimortalidade da população mundial, conferindo-lhe papel de destaque entre as ações de saúde pública, a exemplo da erradicação da varíola e da poliomielite”, destacou o senador.

Também estiveram presentes na solenidade a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS) no Brasil, Socorro Gross, a secretária de Saúde do Distrito Federal, Lucilene Florêncio, entre outras autoridades e especialistas.

 

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *