Conheça os principais benefícios do café para a saúde

Seja pelas propriedades estimulantes ou pelo aroma ou pelo sabor, o café é uma das bebidas mais apreciadas no mundo, sendo uma paixão brasileira. No país, são consumidas aproximadamente 839 xícaras da bebida por pessoa, resultando na ingestão de 40 ml por dia da infusão. Esses números mantêm o Brasil como segundo maior consumidor mundial do pretão.

O que muita gente não sabe é que, para além da cultura de apreciar uma boa bebida, há também benefícios do café para a saúde, se ingerido de maneira não exagerada.

Os pesquisadores Ana Amelia Paolucci, Leandro Soares, Maria Beatriz Abreu e Tasso Moraes confirmam que, por conter substâncias antioxidantes, anticarcinogênicas e antiteratogênicas, o pretão até reduz o risco de alguns tipos de câncer.

Conhecido pela cafeína, o café também é uma bebida composta por muitas outras substâncias biologicamente ativas, como minerais, açúcares, gorduras, aminoácidos e uma vitamina do complexo B – a PP.

Dessa forma, é seguro afirmar que tomar aquela xícara do seu pretão favorito todos os dias faz muito mais do que só acordar o seu corpo para mais um dia de atividades.

Conversamos com Gabriela Parise, nutricionista e pesquisadora em estudos do café do grupo de Café e Coração do Instituto do Coração (InCor) para saber todos os benefícios do pretão para a saúde. Confira cada um deles!

Benefícios do café

O que poucas pessoas sabem é que o café é uma substância nutracêutica, ou seja, nutricional e farmacêutica.

Desde que consumido dentro de uma dieta diária, sem exageros, os componentes da bebida são estimulantes e preventivos de diversas doenças. “Ele atua na diminuição do risco de desenvolver doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, depressão, ansiedade e até mesmo Parkinson”, afirma Gabriela.

Auxilia no emagrecimento

Existem diversos estudos científicos que sugerem a perda de peso por meio da ação termogênica do pretão. Isso acontece devido ao gasto energético após a ingestão da cafeína e requer, em média, um consumo de seis xícaras da bebida cafeinada por dia, não sendo observado resultado em cafés descafeinados.

Além disso, foi observado um aumento na lipólise – degradação de lipídios em ácidos graxos e glicerol –, que resulta na perda da massa de gordura após a ingestão de cafeína.

A nutricionista reforça a existência de estudos que sugerem a possível contribuição da cafeína na queima de gordura, principalmente por aumentar a secreção de adrenalina. Porém, ela lembra que esses resultados se mostram presentes dentro de um padrão alimentar e de estilo de vida adequados.

Dessa forma, o pretão ajuda no emagrecimento, porém é importante se atentar para a quantidade necessária de ingestão da bebida. Além disso, o produto não pode ser descafeinado. Alertamos que, antes de fazer qualquer dieta, é necessário consultar um especialista.

Tem efeito estimulante

Talvez o principal benefício conhecido do café seja a forte carga de energia e de disposição que ele deposita no corpo humano. Todo esse efeito estimulante se deve aos princípios psicoativos da cafeína.

Com a ingestão de doses baixas a moderadas (50 ml a 300 ml por dia), é possível verificar uma melhora na performance cognitiva e psicomotora do consumidor. Isso significa dizer que há um estado de alerta maior, assim como o aumento da capacidade de concentração, do desempenho em tarefas simples, da vigilância auditiva, do tempo de retenção visual e da diminuição da sonolência e do cansaço.

Gabriela complementa afirmando que o café pode contribuir com a sensação de bem-estar e diminuir a percepção subjetiva do esforço quando consumido antes de um exercício físico.

Reduz as chances de problemas respiratórios

Rita Alves, Suzana Casa e Beatriz Oliveira, pesquisadoras da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, descobriram que quem consome café moderadamente (50 ml a 300 ml por dia) tem 30% menos chances de desenvolver sintomas usuais de asma, quando comparado a quem não consome a bebida.

Além disso, o efeito broncodilatador da cafeína reduz a fadiga dos músculos respiratórios, melhorando a função pulmonar em até duas horas após consumo.

Outros estudos sugerem redução dos sintomas e das manifestações clínicas da asma, desde que se consuma café moderadamente a longo prazo.

Previne o câncer

A relação entre consumo de café e risco de alguns tipos de câncer tem sido demonstrada por diversos estudos epidemiológicos. Análises anteriores mostravam que a bebida estava aliada no aumento das chances de desenvolver tumores, principalmente de pâncreas e bexiga.

Pesquisas recentes, no entanto, desassociaram o consumo de café ao risco de desenvolvimento de câncer. Alguns trabalhos, inclusive, apontam que a bebida tem propriedades que atuam na prevenção de alguns tumores, como os de mama, ovários, pele, fígado, cólon e reto.

Essa prevenção ocorre devido à presença de antioxidantes no café, que são essenciais para a manutenção celular do corpo humano. Melanoidinas, cafeína, tocoferóis, compostos fenólicos, ácidos clorogênicos, diterpenos cafestol e kahweol “presentes na fracção lipídica do café possuem ainda atividade quimioprotetora e anticarcinogênica”, informa o estudo.

Aumenta a memória e reduz chances de Alzheimer

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa em que ocorre a diminuição progressiva das capacidades cognitivas. Recentemente, alguns estudos apontam para um papel neuroprotetor do café e da cafeína em relação ao desenvolvimento da neuropatologia.

“Além da cafeína, outros compostos com ação antioxidante existentes no café poderão ter um papel essencial na proteção contra esta doença, reduzindo o estresse oxidativo celular, através da neutralização de radicais livres”, afirma Rita.

Combate a depressão

Vários estudos do campo da saúde estão mostrando uma relação positiva entre o consumo de café e a diminuição de sintomas da depressão e de suicídio. As doses moderadas do pretão melhoram o humor, a disposição e a performance cognitiva, tudo devido ao efeito psicoestimulante que já comentamos.

Além disso, componentes presentes no pretão auxiliam na funcionalidade das enzimas que metabolizam a serotonina e a noradrenalina, neurotransmissores associados ao bem-estar e boa disposição. “O consumo de café está intimamente associado a hábitos sociais de convívio que, por si só, aumentam o bem-estar pessoal”, explica a química.

Estudos mais preliminares, realizados em animais, ainda demonstram que o ácido cafeico possui efeito ansiolítico e antidepressivo. Logo, sendo benéfico para a saúde, o café, com seus variados componentes, auxilia no bem-estar de diversas maneiras.

Reduz os sintomas de Parkinson

O Parkinson (DP) é uma doença do sistema nervoso central causada pela degeneração severa dos neurónios dopaminérgicos, ocasionando controle involuntário dos movimentos, que leva ao tremor, à perda da capacidade motora, à rigidez e à instabilidade postural.

Durante um estudo realizado, homens que ingeriam, pelo menos, de três a quatro xícaras de café por dia apresentavam risco cinco vezes menor de adquirir o Parkinson. Em uma análise complementar, verificou-se que o consumo de uma caneca diminuía o risco em 50%.

Já entre as mulheres, a ingestão aumentava para quatro ou mais doses de café diárias, assim foi possível observar a diminuição do risco em até 50% em comparação com as não consumidoras.

Melhora inflamações

As fontes antioxidantes naturais presentes em grande quantidade no café, o ácido clorogênico e o cafeico, fornecem proteção contra as agressões dos radicais livres, reduzindo os sintomas das inflamações.

Entenda quais cafés tomar

Para que haja realmente benefícios do pretão para o corpo humano, é necessário que o café seja de qualidade e tenha uma cadeia de produção acompanhada pelas certificações.

Isso acontece porque todo o processo de colheita, de separação, de torra e de moagem possuem propriedades químicas que alteram os componentes do pretão. “A composição química do grão verde de café é bastante complexa”, afirmam as pesquisadoras.

“Durante o processo de torrefação ocorrem, ainda, diversas reações químicas, através das quais se degradam e/ou formam inúmeros compostos. Estima-se que o grão de café torrado possua mais de 2 mil compostos químicos, alguns destes com atividades biológicas conhecidas (adversas e/ou benéficas)”, completa a química.

Gabriela explica que duas espécies de café se destacam por ter maior concentração de de cafeína e compostos fenólicos: o robusta e o 100% arábico.

Ela também reforça que os métodos de preparo são tão importantes, quanto a escolha do grão, para que os benefícios do pretão façam efeito no organismo.

“Priorizar métodos que utilizem o filtro contribui para alcançar esses benefícios por dois motivos principais: podem apresentar maior concentração de antioxidantes e podem reter maior fração lipídica, diminuindo o risco para elevação do colesterol.”

Deste modo, a efetivação dos benefícios do café irá depender da qualidade e da quantidade dos compostos químicos ingeridos.

Saiba a quantidade de café por dia

Como discutido anteriormente, todos os benefícios do café só se tornam positivos com um consumo moderado da bebida. Estudos apontam que normalmente é recomendada a ingestão de três a quatro doses diárias de café (em torno de 300 mg de cafeína) ao dia.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *